Cristãos são perseguidos e mortos “como animais” em Mianmar


Para muitos cristãos, viver em um país onde há liberdade religiosa é um privilégio ainda não tão valorizado como deveria, tendo em vista que em algumas partes do mundo, como em Mianmar, a Igreja de Cristo tem sido perseguida e seus fiéis “mortos como animais”.

Esse é o relato de um cristão que vive em Mianmar e que tem sofrido com a perseguição religiosa no país de maioria budista. “Eles estão devastando as aldeias cristãs e nos matando como animais”, informou a testemunha à organização Portas Abertas.

Por motivos de segurança, o nome do cristão não foi revelado. Ele contou que desde o início da guerra civil no país, em fevereiro de 2021, quando houve um golpe militar, autoridades do país têm implementado medidas que visam oprimir os cristãos, como a restrição do acesso a itens básicos de consumo, incluindo a água!

“Os recursos estão escassos e não fugimos por vontade própria, mas por causa da nossa segurança e de nossos familiares”, informou o cidadão.

Purismo religioso

A perseguição aos cristãos em Mianmar acontece principalmente devido ao radicalismo religioso budista. O governo e parte da população acredita que uma pessoa não pode se converter à outra religião.

Seguindo o exemplo de países como a Índia, que também prega o purismo religioso em razão do ultranacionalismo de partidos políticos, Mianmar também tem exigido da população a manutenção do budismo como única religião no país.

Com isso, o país foi parar na 12ª colocação entre os 50 países onde a perseguição religiosa é mais intensa, segundo a Portas Abertas.

“Os cristãos que abandonam a fé dos antepassados para seguir a Jesus são perseguidos tanto pela família como por comunidades budistas, muçulmanas ou tribais. Os povoados que desejam permanecer 100% budistas não permitem que os cristãos usem os recursos hídricos da vizinhança”, diz a organização.

Cultos domésticos

Felizmente, os cristãos de Mianmar estão conseguindo contornar a dura perseguição através dos cultos domésticos. Uma vez que os templos estão sendo fechados, eles passaram a se reunir nas casas, exatamente como foi durante o período da Igreja Primitiva.

“Os novos convertidos começaram a se juntar e estamos aumentando. Louvado seja Deus porque Ele realmente está trabalhando em todas as coisas para o bem daqueles que o amam”, disse uma testemunha.





Gospel Mais

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.