Bebê encontrado no lixo é adotado por jovem que cresceu sem pai


Um jovem haitiano que encontrou um bebê de quatro meses no lixo, coberto por formigas, decidiu adota-lo num gesto que expressou o tamanho de sua fé diante da situação econômica precária que atravessava com sua família.

Jimmy Amisial, que vive e estuda em San Marcos, Texas (EUA), estava em sua cidade natal no Haiti durante as férias da faculdade e faria uma visita a um orfanato onde atuou voluntariamente na adolescência.

Quando estava a caminho do estabelecimento, viu um tumulto próximo a uma lixeira e foi ver do que se tratava. Ao se deparar com o bebê cercado por pessoas imóveis, ele decidiu pegar a criança, levar para casa para limpá-lo e vesti-lo, e em seguida leva-lo ao médico.

Quando o bebê já havia sido acudido, Jimmy chamou a Polícia, que tentou em vão encontrar os pais da criança. Quando o caso chegou à Justiça, o juiz questionou o jovem estudante então com 22 anos se ele seria o guardião do bebê, e ele disse que sim.

Com a ajuda da mãe, Elicie Jean, 66 anos, Jimmy tem cuidado do bebê, que foi batizado como Emilio Angel Jeremiah. Enquanto o pai adotivo estuda no Texas, Emilio fica com Elicie no Haiti.

Os procedimentos para adoção formal da criança foram iniciados por Jimmy este ano: “Quando o encontrei, ele tinha quatro meses – agora ele tem quase cinco. Quando acordei naquele dia, não sabia que minha vida estava prestes a mudar para sempre. As pessoas estavam se aglomerando em volta dessa lixeira e eu as ouvi discutindo sobre o que fazer com esse bebezinho”, disse Jimmy, agora com 27 anos.

“Todo mundo estava apenas olhando para ele – nem uma única alma queria ajudar. Ele estava chorando e sem roupa e eu podia ver a dor em seus olhos – eu tinha que fazer alguma coisa”, acrescentou.

Presença de um pai

Quando Jimmy levou o bebê para casa para sua mãe, ela ficou chocada – mas imediatamente disposta a fazer qualquer coisa que pudesse ajudar. Juntos, eles o lavaram, vestiram e o alimentaram com leite, e o levaram aos médicos para uma bateria de exames, pois ele estava coberto de picadas de formigas do lixo.

“Quando me pediram para criá-lo, fiquei acordado por dias ponderando, tentando tomar uma decisão. Eu já estava com minhas taxas universitárias atrasadas e minha família sempre lutou para sobreviver. Mas eu não tive um pai enquanto crescia, e essa pobre criança estava enfrentando uma vida inteira de instabilidade e incerteza”, relembrou.

“Algo dentro de mim estava me dizendo que isso tinha acontecido por uma razão – então eu dei um salto de fé. Às vezes você não tem que saber o que fazer, você só tem que estar pronto, para fazer”, disse Jimmy, que depois de pensar muito sobre o pedido do juiz, concordou em criá-lo com a ajuda de sua mãe.

Ele deu nome ao bebê e embarcou em uma bela jornada para aprender a ser pai. Para sustentar sua família, Jimmy teve que tirar um tempo considerável de seus estudos, mas agora está se preparando para começar seu terceiro ano em setembro próximo.

Para concluir o processo legal de Emilio, ele está arrecadando doações para cobrir os custos de US$ 30 mil: “Foi divertido vê-lo crescer – é uma alegria estar por perto”, disse Jimmy.

“[Minha] mamãe o ama, as crianças do orfanato o amam e eu o amo como se fosse meu. Ele realmente é um garotinho especial. Tem sido uma jornada incrível e vê-lo crescer tem sido muito gratificante – estou muito orgulhoso dele. Eu tive que fazer o que tinha que fazer quando ninguém mais queria, e sou muito grato pelos últimos quatro anos e meio”.

“Eu realmente me sinto como um pai, e estou animado para colocar a caneta no papel e fazer de Emilio meu filho – eu só preciso levantar o dinheiro primeiro. Estou feliz por ter tido a oportunidade de transformar sua vida de ser abandonado no lixo para ser um tesouro maravilhoso”, finalizou, segundo informações do Metro.





Gospel Mais

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.