fiéis da Igreja Batista criticam possível Revisão Doutrinária


O atual presidente da Convenção Batista Brasileira (CBB), pastor Hilquias Paim, gravou um vídeo recentemente para estimular a participação dos batistas em uma consulta que visa estabelecer uma revisão doutrinária da denominação.

Segundo o líder religioso, essa foi uma proposta feita ao Conselho Geral da Convenção ainda no ano de 2012, durante a 92ª Assembleia da Convenção Batista Brasileira, dez anos atrás.

Contudo, membros da Igreja Batista passaram a reagir negativamente nas redes sociais, levantando dúvidas quanto à necessidade da revisão doutrinária, em especial um trecho da fala do pastor Paim, onde se destaca a palavra “diversidade”.

“A revisão da Declaração Doutrinária da Convenção Batista Brasileira quer ouvir a sua opinião. Nesse tempo de diversidade, precisamos buscar a unidade na base bíblica”, afirma o pastor na gravação, com destaque do GospelMais.

Segundo Paim, até o momento foram enviadas à CBB cerca de 300 posicionamentos sobre a possível revisão doutrinária. O prazo inicial de contribuição por parte dos batistas iria até o próximo dia 11, mas o pastor disse que a entidade considera prolongá-lo.

“Diante desse volume de participação e interesse, já notamos que precisamos de mais tempo para considerar cada contribuição e levar em conta preciosíssimas sugestões e reflexões a respeito da revisão do documento balizador da nossa doutrina, que é a Declaração Doutrinária da Igreja Batista Brasileira”, explicou Paim.

Críticas

Em resposta ao vídeo publicado por Hilquias Paim no canal da CBB no YouTube, vários membros da Igreja Batista criticaram a iniciativa da organização. Um internauta que se apresentou como pastor, disse ser “totalmente contra a atualização da Declaração Doutrinária.”

“Devemos nos manter firmes na palavra e não nos adequar ao moldes da modernidade”, afirma o seguidor. “Como pastor Batista digo com absoluta certeza que se houver tal alteração deixaremos de fazer parte de convenção”, criticou outro internauta.

“Não porque deixaremos de ser Batistas, isso nunca, mas por que entendemos que se tais alterações se confirmarem será a convenção que estará deixando de ser Batista. A unidade denominacional depende da fidelidade a doutrina. A alteração da doutrina configura a total degeneração da nossa unidade”, acrescentou. Assista:

Assine o Canal





Gospel Mais

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.