Criança educada sem palmada é coisa da elite progressista


O pastor Yago Martins utilizou a sua rede social para reagir a uma matéria da Agência Pública, na qual o castigo físico, como a palmada que alguns pais aplicam nos filhos, é associado à “violência contra crianças e adolescentes”, bem como à “extrema direita” e ao “homeschooling” (ensino domiciliar).

Na matéria de viés progressista, a Agência Pública faz uma crítica velada aos cristãos que se baseiam no ensino bíblico para educar os seus filhos, onde o castigo físico da palmada, por exemplo, é visto como um dos recursos possíveis para ensinar a criança “no caminho em que deve andar” (Provérbios 22:6).

Segundo a reportagem, “a lei brasileira proíbe o uso de castigos físicos, mas a realidade de violência contra crianças e adolescentes ainda é comum no país e muitos casos acontecem dentro do lar.”

Após associar os pais cristãos e os conservadores aos criminosos que, de fato, cometem ilegalidades por meios abusivos, e não por ações corretivas praticadas há centenas de milhares de anos, a matéria também demoniza o ensino domiciliar, sugerindo que a escola seria um refúgio contra isso.

“Assim, a escola tem um papel fundamental de proteção e prevenção de violências”, diz o texto. O pastor Yago Martins, por sua vez, ironizou a reportagem, apontando o modo discrepante como o conceito de “violência” é retratado por parte dos liberais.

“No mundo da grande mídia, você não pode dar palmada no bumbum do filho, mas pode dar bloqueador hormonal pra criança desde os primeiros anos de vida que não tem problema. Palmada? Traumatiza! Ser criado como se sua biologia não importasse? Super saudável!”, comentou o pastor.

A crítica de Yago Martins se baseia no fato de que os críticos da ideologia de gênero encaram a promoção da suposta “mudança de sexo” para crianças como abuso infantil. Isto é, uma violência psicológica que impacta não apenas a mente dos menores, como também o corpo, talvez pelo resto de suas vidas.

Com isso, o pastor conclui: “Existe uma imensa desconexão entre a vida real e a fantasia dos especialistas. No mundo real, filhos levam palmadinhas no bumbum e são criados de acordo com o sexo biológico. O único lugar onde criança não leva palmada e é criada sem gênero é na elite progressista.”

Exigida por Deus

Recentemente, quem também se posicionou em favor do direito dos pais poderem castigar fisicamente os seus filhos, foi o pastor Heber Campos Jr. Em uma pregação, ele citou passagens como as de Provérbios 19:18; 22:15 e 29:15.

Outra passagem listada pelo pastor se encontra em Provérbios 23:13,14, que diz: “Não evite disciplinar a criança; se você a castigar com a vara, ela não morrerá.
Castigue-a, você mesmo, com a vara, e assim a livrará da sepultura.”

É importante ressaltar que a expressão “vara” utilizada na passagem acima e em outras bíblicas, é uma força de expressão que faz alusão ao castigo físico de modo genérico, e não ao instrumento usado para aplicá-lo, como erroneamente alguns críticos da palmada interpretam.

“Eu preciso ajudar você cristão a entender. A repreensão e a disciplina física são bíblicas. Presta atenção ao que eu estou dizendo a vocês: a gente leu textos aqui que falam que aquele que ama disciplina seu filho. Você, mãe, tem que entender que corrigir o seu filho não é uma opção, é o seu dever”, disse Campos Jr.





Gospel Mais

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.