Uol acusa Sonaira Fernandes de transfobia: ‘Sigo a Cristo’


A vereadora Sonaira Fernandes (Republicanos-SP) rebateu acusações feitas contra ela em reportagem do portal Uol, e reiterou seu posicionamento bíblico sobre questões envolvendo sexualidade e comportamento.

Uma reportagem do portal de informação ligado ao Grupo Folha sobre o evento “Summit Minha Cor é o Brasil”, idealizado pelo deputado federal Helio Lopes (PL-RJ), serviu de pano de fundo para um ataque à vereadora paulistana, que é membro da Assembleia de Deus.

O evento seria realizado em Alphaville, Barueri (SP), no último sábado (16 de julho) e foi adiado devido à legislação eleitoral. Ao longo do texto, a reportagem ataca os pontos de vista dos políticos envolvidos com o evento em relação às bandeiras do chamado movimento antirracista.

Em sua maioria negros, esses palestrantes pretendiam mostrar um ponto de vista diferente dos que acusam a existência de uma prática estrutural de racismo no país. Sonaira falaria sobre o tema “cotas raciais”, que em sua percepção, são um mecanismo de segregação.

Na reportagem, os posicionamentos conservadores e bíblicos da vereadora foram alvo de deboche: “Ela é vereadora de São Paulo pelo Republicanos. Causou polêmica em diversas ocasiões que já deu diversas declarações homofóbicas e transfóbicas, por exemplo ao dizer que o movimento LGBT queria ‘acelerar a libertinagem sexual’”, diz o texto do Uol.

Em sua conta no Instagram, Sonaira Fernandes rebateu: “De acordo com reportagem do Portal UOL, sou uma homofóbica e transfóbica que causa polêmicas na Câmara de São Paulo”.

Afirmando que o “evento com o amigo e deputado federal Hélio Lopes foi apenas adiado”, Sonaira vê na matéria do portal uma forma de manifestação intolerante aos princípios e valores cristãos:

“Tudo isso porque defendo os valores cristãos, a família e a vida desde a sua concepção. A reportagem é mentirosa, mas prossegue nos ataques contra a minha pessoa. Diz o texto que fui homofóbica ao criticar o movimento LGBT e associá-lo à libertinagem sexual. Sou obrigada a gostar do movimento LGBT ou serei taxada de homofóbica?”, questionou.

“Ora, eu sigo Cristo e seus ensinamentos. Essa gente com certeza estaria crucificando-O novamente hoje”, concluiu a vereadora.





Gospel Mais

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.