Rental Coins, empresa de evangélico, acusada de calote a Sasha e João


A empresa de investimento em criptomoedas Rental Coins, de um empresário brasileiro, evangélico, está sendo acusada de ter lesado uma multidão de clientes, incluindo o casal João Figueiredo e Sasha, filha de Xuxa.

A empresa, uma corretora de investimentos aberta em 2019, ofertava um modelo de negócio que explorava a bolha do crescimento das criptomoedas: os clientes assinavam um contrato em que a Rental Coins alugava o dinheiro investido, pagando mensalmente o retorno do valor.

Esses valores, variáveis, eram o retorno do aluguel das criptomoedas: a cada faixa de investimento os clientes obtinham, mensalmente, retornos de 0,5% a 5%, com o contrato rezando a devolução integral do valor investido.

A atuação da empresa explorava um nicho criado pela Receita Federal com a portaria RFB 062018, que considerou a criptomoeda um bem intangível – propriedade que não existe fisicamente – e permitiu operações de aluguel deste ativo.

O empresário evangélico acusado é Francisley Valdevino da Silva, conhecido como Francis da Silva. Ele já foi sócio do pastor Silas Malafaia em uma empresa de marketing de relacionamento, a AlvoX, que basicamente vendia livros num modelo de negócio semelhante ao usado por empresas como a Hinodé.

Diante da abertura legal criada pela Receita Federal, Francis da Silva criou a InterAG, uma empresa de investimento, e fechou o primeiro contrato de aluguel em 16 de janeiro de 2019, levando os contratos fechados nos meses seguintes a uma escalada que chegou a ter ofertas de juros a 13,5%.

A denúncia do escândalo foi feita após alguns clientes, muitos famosos, buscarem a Justiça contra a Rental Coins. A empresa teria “ruído”, financeiramente, de acordo com informações do jornal O Globo, relegando um prejuízo milionário ao casal João Figueiredo, cantor que ganhou notoriedade por sua ligação com Cia de Teatro Nissi, e sua esposa, Sasha Meneghel.

O valor que João Figueiredo e Sasha teriam investido somaria R$ 1,2 milhão. O convencimento para aportar tamanha soma na empresa de Francis da Silva teria vindo de uma apresentação feita pelo empresário na sede da Rental Coins em Curitiba, quando duas caixas abarrotadas de ouro – uma com barras de 1KG e outra com zelts, que são esferas de 10 gramas do metal – eram apresentadas aos investidores como lastro do negócio.

Essa apresentação excêntrica, uma peculiaridade do empresário (que passou a ser chamado de “Sheik”), vinha acompanhado de uma reputação de ser um evangélico fervoroso. Muitos pastores, cantores e fiéis embarcaram no negócio oferecido pela Rental Coins a partir disso, alega o jornal carioca.

Os atrasos nas quitações dos aluguéis teriam começado em outubro passado, e em dezembro os pagamentos foram interrompidos para grande parte dos investidores. A empresa alegou uma reestruturação dos negócios e propôs um acordo para manter as quase 40 mil pessoas que aportaram recursos confiando no modelo de negócio.

O acordo previa o ressarcimento dos valores em 38 prestações, mas em 2022, a empresa voltou a atrasar os pagamentos. Diante do “calote”, João e Sasha entraram na Justiça contra a Rental Coins e Francis da Silva em abril deste ano.

Um dos advogados que representam clientes da empresa em processos na Justiça, Jeferson Brandão, declarou que há esperança: “Por eu já ter localizado alguns bens e saber que hoje podemos penhorar cripto moedas inclusive no exterior pelos protocolos internacionais de cooperação, existe a possibilidade de ressarcimento real”.

A versão do Sheik

Em nota ao jornal O Globo, Francis da Silva reiterou que suas empresas atravessam um momento de reestruturação, e admite que deixou de pagar os valores acertados em contrato com seus investidores.

A previsão, segundo ele, é que em outubro os pagamentos sejam retomados, pois este seria “o prazo hábil para solução de todas as falhas anteriormente encontradas, possibilitando a regular continuação das atividades das empresas”.

O empresário afirmou que seus clientes eram alertados sobre os “riscos que permeiam o volátil mercado de criptoativos”, e que os contratos foram assinados “através da aceitação de termo de risco que os integram, cabendo ao clientes mensurá-los e não somente a empresa”.

Segundo Francis, houve “erros cometidos por gestões passadas, que inclusive causaram enorme abalo às estruturas, ocasionaram atrasos nos pagamentos e inadimplementos contratuais”, o que teria obrigado que fossem “tomadas medidas urgentes para atenuar os impactos causados aos clientes” por parte da empresa.

Outros lados do escândalo

A reportagem do GospelMais, ouvindo um ex-corretor da InterAG/Rental Coins que aceitou falar sob condição de anonimato, descobriu que internamente a empresa alegava aos corretores que a dificuldade de quitação dos aluguéis teria sido causada por desvios financeiros praticados por um antigo CEO, e que a fraude contra a empresa teria sido descoberta por uma auditoria da Receita Federal.

Esse desfalque teria sido maximizado pela queda no valor das criptomoedas no mercado internacional, em especial o BitCoin, que perdeu mais de 50% de valor entre dezembro de 2021 e maio de 2022.

O pastor Silas Malafaia, ex-sócio de Francis da Silva na AlvoX, publicou um vídeo em que rebateu as tentativas do jornal O Globo em associá-lo ao escândalo da Rental Coins.

Confira, abaixo, o vídeo do pastor Silas Malafaia e a íntegra da nota de Francis da Silva, enviada ao jornal O Globo:

Assine o Canal

Eu, Francisley Valdevino da Silva, venho a público, novamente, com intuito de efetivar a política de transparência sempre adotada, manifestar esclarecimentos essenciais acerca das últimas notícias veiculadas pela imprensa. Circulou na mídia, na data de 28.06.2022, através de matéria do jornal “O GLOBO”, notícia sobre as empresas Intergalaxy, Interag e RentalCoins, a qual alude expor minha trajetória como empresário. Clique aqui para visualizar a matéria.

A princípio, é importante elucidar os fatos descritos na reportagem. Como já é do conhecimento de todos, o ano de 2022 está sendo um período movido pela extrema necessidade de processo turnaround do Grupo empresarial que está sob minha gestão, devido a anormalidades internas verificadas ainda em outubro do ano anterior.

Sendo assim, o grupo Interag iniciou uma reorganização de gestão administrativa, financeira e tecnológica, devido à identificação de falhas que necessitaram de medidas estratégias para soluciona-las.

Os erros cometidos por gestões passadas, que inclusive causaram enorme abalo às estruturas, ocasionaram atrasos nos pagamentos e inadimplementos contratuais. Com isso, foram tomadas medidas urgentes para atenuar os impactos causados aos clientes.

Aos nossos clientes, o alicerce de todo sucesso anterior as falhas, as empresas apresentaram planos de pagamento totalmente realistas e sólidos, que foram criados baseando-se no atual cenário em que o Grupo se encontra e, caso não se verifique a ocorrência de fatos externos e imprevisíveis, serão integralmente cumpridos. Estamos no momento com 9.445 clientes que aceitaram o plano reestrutural e continuam recebendo seus rendimentos de cessão de criptoativos; 4.533 clientes decidiram rescindir seus contratos por meio de acordos extrajudiciais e 702 clientes usufruíram de atendimento jurídico presencial ao longo deste ano, contemplando a totalidade de 13.978 soluções positivas.

O cuidado e atenção despendidos pelas empresas desde o início deste ano aos clientes são claramente demonstrados com os números abaixo apresentados: 1. Ampliação nos canais de atendimento aos franqueados home-based e franquias agência: equipe responsável pelo atendimento de 1519 (mil quinhentas e dezenove) demandas entre os meses de Abril de 2022 e Junho de 2022, com tempo médio de resolução de 3 (três) dias úteis; atendimento direto através de sistema de atendimento via “chat” (franqueados home-based) para estes franqueados sem suporte oriundo das agências às quais possuem vínculo. Foram atendidos 486 franqueados homebased, com TMA (tempo médio de espera para atendimento) de 13 minutos; 2. Time responsável por prestar atendimento direto às franquias InterAg: atendimento de 85 demandas, com uma porcentagem de resolução de 96%; 3. AFAG (Associação dos Franqueados da InterAg): até o momento 116 (cento e dezesseis) demandas vindas da AFAG e efetivamente resolvidas dentro das atribuições da Gestão Comercial; 4. Franqueados InterAg: a Gestão Comercial dentre as suas equipes foi responsável, entre os meses de Abril e Junho de 2022, por realizar 128 (cento e vinte e oito) treinamentos, presenciais ou em modalidade vídeo-chamada, com estes franqueados; foram realizadas 658 (seiscentas e cinquenta e oito) ligações de contato direto com franqueados de todo o Brasil;

Ainda dentro desta operação (turnaround) — a principal no que se refere ao atendimento direto e especializado a clientes e locadores —, foram registrados os seguintes números de atendimentos (RentX e Rental Coins): 1. Março de 2022: 25.581 (vinte e cinco mil, quinhentos e oitenta e um), com TMA (tempo médio de espera para atendimento) de 1h19min; 2. Abril de 2022: 19.585 (dezenove mil, quinhentos e oitenta e cinco), com um TMA de (tempo médio de espera para atendimento) de 1h56min; 3. Maio de 2022: 15.024 (quinze mil e vinte e quatro), com TMA (tempo médio de espera para atendimento) de 18 minutos; 4. Junho de 2022: 6256 (seis mil duzentos e cinquenta e seis), com (tempo médio de espera para atendimento) de 9 minutos; Observa-se, portanto, que progressivamente após a instituição do Lessor Center e inserção desta operação dentro da Gestão Comercial, o atendimento direto a clientes e locadores ganhou velocidade, efetividade de resolução e maior dinamismo em seu funcionamento.

Ademais, demonstrando a credibilidade e possibilidade de continuação das atividades empresariais, através de expertise própria, adquirida ao longo da existência das empresas, desenvolvemos projetos totalmente “In House”, com tecnologia e mão de obra técnica altamente qualificada dentro do próprio grupo, em um setor unicamente dedicado às soluções e desenvolvimento de projetos de T.I, com os seguintes projetos: 1) Para os franqueados home-based e franquias agência, foi lançada em 2022 uma nova plataforma de trabalho on-line mais completa, intuitiva e com ainda mais dados acerca do mercado e dos locadores; 2) Dentro da Rental Coins, os aprimoramentos tiveram início em Janeiro de 2022, tão logo foi concretizada a parceria com a exchange RentX. Junto à nova plataforma para locadores, também vieram novas soluções. Tais como: realocação automática facilitada, saque de rentabilidades em cripto, atendimento personalizado dentro da plataforma, FAQ’s e videos tutoriais acessíveis e atualizados; 3) Na exchange RentX foi instituída a possibilidade de pagamento em BRL (Real) direto da própria exchange para a conta bancária do usuário, possibilitando que os próprios clientes operacionalizem como melhor desejarem os seus criptoativos, inclusive permitindo a opção de “compra rápida” de criptoatvos de maneira intuitiva e segura. Cumpre esclarecer que o processo de reestruturação já foi finalizado, sendo que os dados apurados estão sendo tratados e organizados por meio de auditoria interna, já também em fase final. Neste ínterim, fixou-se o mês de outubro de 2022 para retomada dos pagamentos pertinentes, sendo este o prazo hábil para solução de todos as falhas anteriormente encontradas, possibilitando a regular continuação das atividades das empresas.

Voltando a enganosa matéria, um total desserviço à seriedade que o ramo jornalístico necessita, ainda apresenta foto de um momento particular em uma festa à fantasia, na qual a vestimenta está caracterizada com o enredo da confraternização. A imagem foi usada para tentar criar um personagem midiático capaz de impulsionar o teor enganoso, incitando a criação de um cenário totalmente inverídico sobre minha trajetória empresarial. O conteúdo divulgado é contrário a toda transparência demonstrada pelas empresas do Grupo, inclusive ao que tange aos riscos que permeiam o volátil mercado de criptoativos.

Os contratos pactuados efetivaram-se através da aceitação de Termo de Risco que os integram, cabendo ao clientes mensurá-los e não somente a empresa. Portanto, diante de todo o exposto, na qualidade de representante das empresas do Grupo, fico à disposição para esclarecer e sanar quaisquer dúvidas e desacordos existentes, pautado sempre pelo bem-estar e satisfação de todos os clientes.

Sem mais para o momento, Francisley Valdevino da Silva





Gospel Mais

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.