Justiça manda desligar os aparelhos em criança que fez ‘desafio na web’


Holly Dance e Paul Battersbee são a mãe e o pai de um menino de 12 anos que agora luta pela vida. Inconsciente, declarado com “provável” morte e mantido por aparelhos no Reino Unido, o adolescente recebeu uma ordem judicial para o desligamento dos equipamentos.

O drama da família começou quando os pais do garoto chamado Archie Battersbee o encontraram inconsciente com um cordão no pescoço no dia 7 de abril passado. Isso, porque, o jovem teria aceitado fazer algo chamado “desafio do apagão”, divulgado pelas redes sociais.

A péssima “brincadeira” consiste em se asfixiar até desmaiar. Obviamente, o risco de danos permanentes ao cérebro por falta de oxigenação é real e potencialmente fatal, o que pode ter sido o caso do filho de Holly e Paul.

Possível morte cerebral

Como resultado do “desafio” da internet, Archie Battersbee foi diagnosticado com possível morte cerebral, ficando mantido apenas por aparelhos de ventilação pulmonar, oxigenação e cardiorespiração no Royal London Hospital.

Por não apresentar recuperação, segundo os médicos que lidam com o caso, a Justiça tomou a pior decisão que os pais do garoto poderiam esperar: o desligamento dos aparelhos.

“Parem de ventilar mecanicamente Archie Battersbee, cessem a administração de medicamentos e não tentem nenhum tipo de ressuscitação cardio ou pulmonar”, decidiu a juíza. “Os passos que descrevi acima são legais”. acrescentou.

Os pais da criança, agora, apelam pela vida do filho. Com o apoio de um advogado, eles argumentam que é um erro desligar os aparelhos com base num diagnóstico de probabilidade. A mãe de Archie também afirma que o menino chegou a segurar um dos seus dedos durante o período em que está internado.

“O coração dele ainda está batendo, ele segurou a minha mão. E, como mãe, eu sei que ele ainda está lá. A não ser que Deus determine do jeito Dele, eu não vou aceitar que ele vá embora. Eu conheço milagres de pessoas que voltaram da morte cerebral”, disse a mãe, segundo o Christian Post.

“Os pais de Archie acreditam que a hora e a maneira de sua morte devem ser determinadas por Deus e reivindicam o direito de orar por um milagre. Essa crença deve ser respeitada”, disse Andrea Williams, executiva-chefe do Christian Legal Centre.

Agora, Holly Dance e Paul Battersbee iniciaram uma batalha judicial pela vida da criança. Eles também pedem orações para que Deus recupere o filho o quanto antes, pois não acreditam que ele esteja realmente morto. Assista:

Assine o Canal





Gospel Mais

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.