Famoso pastor é afastado do ministério sob acusação de ‘pecado grave’


Um pastor conhecido dos Estados Unidos foi removido de sua função pela direção da Igreja Batista da Comunhão, onde atuava, por conta de um “pecado grave”.

O pastor Jordan Daniel Hall, conhecido como JD Hall, se envolveu em polêmicas e um problema com a Polícia há cerca de um mês. Ele foi acusado de dirigir embriagado e portar armas irregulares.

Na ocasião, a Igreja Batista da Comunhão (Fellowship Baptist Church) em Sidney, estado de Montana (EUA), saiu em defesa do pastor. Ele havia renunciado a seu cargo alegando que não queria “trazer mancha sobre a igreja”.

“Pastor Hall renunciou à igreja […] depois de ser acusado de dirigir embriagado na quarta-feira à noite. Não havia álcool em seu sistema e ele soprou 0,0 no bafômetro administrado. No entanto, a polícia insistiu que o pastor Hall falhou no teste de sobriedade de campo administrado”, disse a nota da igreja logo após o incidente.

“Pastor Hall sofreu de deficiência documentada de vitamina D, o que pode resultar em má coordenação, fala arrastada, deslocamento de palavras, etc. Esta questão médica tem sido discutida abertamente há algum tempo e tem sido objeto de orações de nossa igreja”, acrescentou a diretoria no comunicado.

Reviravolta

JD Hall mantinha um site pessoal, com críticas à postura pública de líderes cristãos em questões debatidas na sociedade americana, mas agora o portal foi retirado do ar.

Outro portal em que JD Hall atuava, Protestia, dedicado a veicular notícias de interesse do público cristão, anunciou que o vínculo do pastor com a congregação foi rompido.

O próprio Protestia anunciou que JD Hall foi removido da liderança da igreja, embora a diretoria da Igreja Batista da Comunhão ainda não tenha se posicionado de forma oficial.

“No início desta semana, a equipe do Protestia recebeu alegações de pecados graves cometidos por nosso irmão JD Hall. Após correspondência com a liderança da Fellowship Baptist Church, soubemos que JD foi determinado pela igreja a se desqualificar do ministério pastoral, renunciou ao pastorado e se submeteu a um processo de disciplina da igreja”, relatou o portal.

“Devido à remoção de JD do ministério pastoral, nós também o removemos do ministério com a Protestia”.

De acordo com informações do The Christian Post, a direção da igreja tem adotado posição de cautela, afirmando que os líderes veem verossimilhança nas acusações contra JD Hall, mas optam por esclarecer todos os fatos antes de se pronunciar.

“Não podemos determinar sua verdade com certeza e, portanto, não podemos falar sobre todos os detalhes das acusações para que não sejamos culpados de fofoca”, disseram os líderes da congregação.

Um relatório do Departamento de Polícia de Sidney apontou que o pastor, de 40 anos, foi preso em 11 de maio por volta das 23h por suspeita de portar uma arma escondida e várias infrações de trânsito enquanto dirigia sob a influência de álcool/drogas.

Um relatório de incidente mostra que, quando a polícia se aproximou de Hall, ele falava devagar, seus olhos estavam lacrimejantes e sua fala estava arrastada e murmurada. Na abordagem, o pastor teria tropeçado e demonstrado pouco equilíbrio, com um desempenho ruim em um teste de sobriedade em campo.

Nenhum álcool, no entanto, foi encontrado em seu sistema quando um teste de álcool no sangue foi administrado, ponderou a Polícia, acrescentando que ele também tinha uma arma Smith & Wesson M&P 2.0 Shield que foi encontrada sob seu casaco em um coldre dentro da cintura durante sua prisão.





Gospel Mais

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.