“Os ‘cavaleiros do Apocalipse’ já estão a caminho”


A guerra na Ucrânia já passou dos seus 100 dias, indo muito além do que o mundo imaginou quando ela teve início, em 24 de fevereiro desse ano. Somado ao temor de um confronto global, o ex-presidente russo Dmitry Medvedev fez uma declaração enigmática durante uma entrevista: “Os ‘cavaleiros do Apocalipse’ já estão a caminho.”

A declaração foi dada na quinta-feira (02) em Moscou, durante uma entrevista para a rede estatal da Rússia. Na ocasião, tratando do contexto de conflito vivenciado atualmente, ele disse que a salvação só poderá ocorrer mediante a fé em Deus.

“Já aconteceu! Há formas diferentes de encarar isso, mas os ‘cavaleiros do Apocalipse’ já estão a caminho e a única salvação passa pela fé em Deus, o Todo-Poderoso”, afirmou o ex-presidente russo.

Mobilização nuclear

Em vez de um fim rápido do conflito, com a Rússia esperando concluir seus objetivos na Ucrânia em questão de dias, a guerra se prolongou a tal ponto que os russos já vêm alertando sobre o risco de um confronto nuclear.

Isso, porque, vários países, entre eles os Estados Unidos, passaram a irrigar a Ucrânia com suprimentos militares, além de bilhões de dólares em recursos.

Em uma decisão tomada esta semana, por exemplo o governo do presidente Joe Biden resolveu enviar um moderno sistema de lançamento múltiplo de mísseis de precisão, com capacidade de atingir alvos entre 70 e 300 km de distância, dependendo da versão, o Himars (High Mobility Artillery Rocket System).

Se trata de um mecanismo de artilharia que os russos consideram uma ultrapassagem da “linha vermelha” de não interferência na guerra. “Nós acreditamos que os Estados Unidos jogam lenha na fogueira de maneira deliberada”, disse o porta-voz da presidência russa, Dmitri Peskov.

Com base no anúncio do reforço militar da Ucrânia, a Rússia passou a empregar exercícios de grupos especializados na manipulação de armamento nuclear. Esta semana, por exemplo, foi realizado um treinamento em Ivanovo, que fica a nordeste de Moscou, segundo o UOL.

Para o pastor ucraniano Jaroslaw Lukasik, independentemente dos culpados e posições político-ideológicas por trás da guerra na Ucrânia, o conflito só teve início devido ao “espírito do comunismo”.

“Na minha perspectiva, trata-se do espírito do comunismo, que nunca deixou a Rússia após a queda da União Soviética. Condenamos o nazismo, mas não condenamos o comunismo. Então, quando Putin viu a fraqueza do Ocidente, esse espírito voltou, talvez com sete espíritos ainda piores”, disse o pastor. Assista:

Assine o Canal





Gospel Mais

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.