“Enxerguei as mentiras em que acreditava”


O testemunho de vida de Karen E. Abbott é mais um que serve para demonstrar a misericórdia de Deus sobre a sua criação, bem como algumas das possíveis consequências de quem sofre abuso sexual na infância. Ex-gay, ela se tornou uma pregadora e agora usa o seu tempo para alertar outras pessoas sobre o pecado da prática homossexual.

Karen contou que teve o seu primeiro relacionamento homossexual ainda adolescente, aos 16 anos. Antes disso, porém, ela revelou que sofreu abuso sexual durante a infância, um crime praticado por dois tios-avós.

Relatos dessa natureza apontam para o possível desenvolvimento, na figura feminina, de uma rejeição em relação à figura masculina, algo semelhante em casos já noticiados pelo GospelMais.

Karen disse que chegou a estabelecer um relacionamento heterossexual, se casando, o que não adiantou, apesar dos esforços do seu marido. Ela se divorciou aos 21 anos e passou a manter relacionamentos lésbicos por cerca de 20 anos.

Enxergando mentiras

Agora ex-gay, Karen E. Abbott disse que as coisas começaram a mudar quando ela passou a ter contato com um amigo cristão fiel às Escrituras Sagradas, um rapaz chamado David.

“Eu falei abertamente sobre meu estilo de vida, e David me desafiou sobre o que realmente significa acreditar em Deus, o que significa aceitar a Bíblia como um todo. Ele me deixava louca, muitas vezes”, disse ela, segundo a AG News.

Karen revelou também que parte da sua vida no pecado foi resultado de um entendimento distorcido em relação à Palavra de Deus. Ela passou a acreditar em interpretações erradas do texto bíblico sobre a prática homossexual.

“Eu entendia que a Bíblia era verdadeira – exceto por certas passagens que foram mal interpretadas em relação à homossexualidade”, disse ela. Esta realidade mudou quando a então lésbica passou a aceitar o ensino bíblico sobre a real natureza sexual do homem e da mulher.

“Então decidi acreditar que a Palavra de Deus era totalmente Sua Palavra. Caí de joelhos, clamei ao Senhor e de repente enxerguei as mentiras em que acreditava”, contou ela. Desde então, Karen, agora com 76 anos, conta o seu testemunho como ex-lésbica para pessoas que passam pelas mesmas dificuldades.

Ela explicou que precisou lutar por décadas contra a tração pelo mesmo sexo, exatamente como qualquer outro pecado incrustrado na vida do ser humano. Karen aprendeu, contudo, que para vencer a tentação precisava eliminar os antigos hábitos e algumas amizades nocivas.

“Eu fui verdadeiramente e totalmente livre dos meus desejos por pessoas do mesmo sexo, e não tomo isso de ânimo leve. Tem sido vital permanecer fiel ao Senhor, viver uma vida crucificada e ser inabalável sobre a inerrância da Palavra de Deus. Eu também tive que estabelecer que Deus nos criou homem e mulher como Seu plano original”, conclui.





Gospel Mais

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.