Cristãos não devem cultuar a Deus no metaverso, diz pastor: “Ficção”


Recentemente, um anúncio feito pelo pastor André Valadão, líder da Lagoinha Orlando Church, chamou atenção não apenas dos cristãos, como da sociedade em geral. Ele comunicou a criação da “Lagoverso”, uma igreja virtual voltada para a plataforma “metaverso”, do bilionário Mark Zuckerberg, proprietário da Meta, o antigo Facebook.

“Já é. É fato. Parece só virtual, mas é real. São vidas através de cada avatar, de cada boneco”, escreveu André Valadão nas redes sociais, argumentando que apesar do mecanismo de encontro ser virtual, são pessoas reais que controlam os seus personagens.

No metaverso, a interação é 100% virtual e o ambiente simula a vida em sociedade. Os personagens adquirem propriedades, frequentam ambientes como festas, mercados, praças e, agora, até a igreja. Segundo Valadão, no culto de estreia da Lagoverso, no último dia 13, tiveram até 10 conversões e 150 participantes.

Metaverso e a igreja

Para o pastor e escritor Renato Vargens, contudo, os cristãos não devem encarar o metaverso como um ambiente de culto a Deus. O teólogo explica que o mundo virtual, onde tudo pode ser modificado ao gosto do freguês, não reflete o propósito da vida cristã.

“As pessoas podem começar a confundir sua identidade dada por Deus com a identidade autocriada no metaverso”, diz Vargens. “O mundo irreal não pode substituir o mundo real. Um mundo irreal pode criar pessoas irreais no qual comportamentos podem ser falsos, desprovidos de verdade e realidade.”

Em um artigo onde lista 7 motivos pelos quais discorda dos cultos no metaverso, Vargens argumenta que esse ambiente “nos tira da realidade da vida levando-nos a um mundo de ficção onde a pessoa pode se ‘fantasiar’ daquilo que quiser; trazendo assim a impressão de que é uma pessoa diferente daquilo que efetivamente verdadeiramente é.”

“Somos seres relacionais e precisamos de relacionamentos pessoais nos quais abraços, lágrimas, risos e toques se fazem presentes”, sustenta o pastor.

Valadão rebate

O pastor André Valadão, por sua vez, rebateu críticas genéricas feitas por internautas, após o anúncio do primeiro culto feito na Lagoverso. O líder religioso disse que a sua intenção é anunciar o evangelho de Cristo em qualquer ambiente.

“O sistema que me entreguei é poder levar a palavra onde eu estiver, da maneira que eu conseguir. E essa é uma outra forma de pregar a palavra”, disse o pastor ao responder a um seguidor que lhe acusou de se entregar ao “sistema”.

Também de acordo com Valadão, o propósito dos cultos no metaverso não é a substituição dos encontros presenciais. “Assim como o alimento é insubstituível, o relacionamento humano nunca será substituído”, disse ele ao Guiame.





Gospel Mais

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.