cristãos retomam culto em igreja destruída pelo Estado Islâmico


Após oito anos, uma igreja no Iraque pode se reunir novamente para celebrar um culto de Páscoa. O templo havia sido destruído pelo Estado Islâmico e os fiéis não se reuniam por temer pela própria vida.

Agora, oito anos depois, a igreja foi reconstruída e a comunidade cristã em Batnaya voltou a celebrar a Páscoa no templo.

Em 2014, quando o Estado Islâmico foi expulso da região através de ações militares dos Estados Unidos, Reino Unido, França e outros países, os extremistas praticamente demoliram a igreja em Batnaya.

Antes da invasão da região norte do Iraque pelo Estado Islâmico, Batnaya contava com uma forte comunidade cristã, incluindo a Igreja Cadeia de St. Kyriakos e a Capela da Imaculada Conceição.

De acordo com informações do portal Christian Today, os extremistas do Estado Islâmico picharam paredes e muros, destruíram ornamentos e o altar, além de praticar tiro ao alvo em símbolos de fé dos cristãos da região.

“Ó, vocês [palavrões] escravos da Cruz, nós vamos matar todos vocês… Vocês, pessoas sujas, vocês não pertencem a este lugar”, dizia uma das pichações dos extremistas muçulmanos.

A entidade ACN (Aid to the Church in Need, ou ”Ajuda à Igreja que Sofre”, em tradução livre) vem apoiado a comunidade ao longo dos últimos anos. A cidade de Batnaya foi a mais danificada entre as cerca de uma dúzia de cidades e vilarejos cristãos nas planícies de Nínive onde o Estado Islâmico se instalou.

Após a derrota do Estado Islâmico, a ACN lançou um grande programa de restauração e reconstrução em Batnaya para encorajar os cristãos a retornarem ao local. A igreja e a Capela da Imaculada Conceição receberam € 200 mil (equivalente a R$ 1 milhão na cotação atual) para a sua restauração.

Em outras cidades da região, há iniciativas em andamento para reconstruir igrejas igualmente destruídas durante a ocupação dos extremistas muçulmanos, como na cidade de em Qaraqosh, uma grande cidade das planícies de Nínive.

O trabalho em Batnaya ainda está em andamento, mas foi temporariamente interrompido durante a Semana Santa para permitir a realização dos cultos de Páscoa – os primeiros cultos a serem realizados na igreja desde agosto de 2014.

Mais de 500 pessoas participaram da Vigília Pascal no sábado, celebrando a ressurreição de Jesus dos mortos. O diácono da paróquia, reverendo Basim, comemorou a oportunidade de retomar as celebrações: “Ficamos todos muito felizes de vir à igreja para os cultos de Páscoa”.

“Nós trabalhamos tanto para chegar a este estágio e o lugar estava tão cheio que havia pessoas nos corredores”, acrescentou o diácono à ACN.

Os responsáveis pelo trabalho de reconstrução acreditam que as obras no templo deverão ser concluídas até o próximo mês de julho. Além da igreja, a ACN está ajudando a restaurar as instalações de dois jardins de infância, o convento dominicano de St Oraha, o salão paroquial, a biblioteca e a casa pastoral.





Gospel Mais

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.