Hillsong poderia ter evitado mais escândalos na igreja, dizem ex-pastores


A profunda crise que assola a Hillsong Church tem levado pastores da igreja a se manifestarem sobre os escândalos que a direção ignorou ou cometeu ao longo dos anos, como no caso do ex-pastor da congregação de Nova York, Carl Lentz.

A exposição dos escândalos recentes encorajou outros pastores que serviram na Hillsong a falar que haviam alertado os dirigentes da igreja, incluindo o fundador, pastor Brian Houston, sobre suas preocupações em relação a Carl Lentz (ambos na foto em destaque).

Lentz foi demitido de sua função em novembro de 2020, logo após vir à tona o escândalo de seu caso de adultério. Desde então, ele tem se mantido longe das redes sociais e numa de suas últimas manifestações, afirmou que buscaria ajuda médica para tratar a depressão e ansiedade.

Em março último, Brian Houston renunciou à posição de pastor sênior global da Hillsong, após ser acusado de má conduta em duas ocasiões diferentes, envolvendo duas mulheres.

Em um dos casos, ele enviou mensagens impróprias e no outro, esteve – sob efeitos de remédios e álcool – por 40 minutos em um quarto de hotel com uma mulher desconhecida. O pastor alega não lembrar se esse encontro culminou em relações sexuais.

Alertas

Dois ex-pastores da Hillsong, o casal Zhenya e Vera Kasevich – agora líderes da Dynamo Church, em Miami, Flórida (EUA), e Kiev, na Ucrânia –, afirmaram que Brian Houston sempre esteve ciente da conduta inadequada de Carl Lentz, mas rejeitava abordar o caso publicamente por uma cultura de “sigilo” da Hillsong.

De acordo com informações do portal The Christian Post, meses depois que Lentz foi demitido, uma ligação de áudio vazada entre Brian Houston e a liderança da Hillsong circulou nas redes sociais.

No áudio, Houston disse que até aquele momento, ele nunca tinha ouvido falar de nenhum problema “moral” durante o período que Lentz havia atuado como pastor em Nova York.

A nova série documental da plataforma de streaming Discovery+, Hillsong: A Exposição de Uma Mega Igreja, contesta essa versão, mostrando o relato do casal Kasevich: “O áudio de Brian não apareceu simplesmente. Se você quer que as pessoas saibam alguma coisa, você encontra uma maneira de trazer essa narrativa e como preparar as pessoas”, acusou a pastora Vera.

Em seguida, Vera Kasevich sugeriu que o áudio vazado foi feito pelo próprio fundador da igreja para controlar a narrativa da mídia: “Brian provavelmente queria que as pessoas soubessem que ele não sabia. Mas ele sabia porque eu disse isso a ele pessoalmente”, ela sustentou.

Zhenya Kasevich lembrou como ela e seu marido fizeram alertas à Hillsong já em 2010: “Fomos pastores seniores da Igreja Hillsong em Kiev por 17 anos. Deixamos a Hillsong em 2014. Nova York começou por volta de 2010 [e] vimos algumas coisas [já] naquela época, alguns comportamentos inapropriados e alguns até mesmo imorais”, afirmou o pastor Zhenya, referindo-se a Carl Lentz.

Por fim, Zhenya Kasevich explicou que sua esposa foi “valente o suficiente para ir ao gerente geral em Sydney e dizer: ‘Isso é o que ouvimos […] Precisamos lidar com isso porque isso vai ficar feio para todos nós’”. Essa postura resultou no desligamento do casal, pouco tempo depois.

“A liderança da Igreja precisa assumir a responsabilidade por suas decisões e por seus erros”, encerrou a pastora Vera.





Gospel Mais

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.