Rússia ataca cidade onde Seminário Batista havia estruturado um abrigo


No último domingo, 27 de março, as forças armadas russas atacaram um depósito de combustíveis na cidade de Lviv. Nessa mesma cidade, um Seminário Batista havia transformado seu prédio em abrigo para refugiados.

O ataque das forças armadas russas atingiu depósitos de combustíveis e foi feito, segundo o porta-voz dos militares, Igor Konashenkov, para que as tropas da Ucrânia não possam se reabastecer.

De acordo com informações da CNN, os bombeiros da cidade de Lviv levaram 14 horas para apagar o fogo após as explosões. A cidade fica na região oeste da Ucrânia, perto da fronteira com a Polônia.

O Seminário Teológico Batista da Ucrânia fica sediado em Lviv e desde que a Rússia iniciou os ataques e a invasão, a direção da instituição decidiu transformar a sede em um abrigo humanitário, com alunos, professores e funcionários atuando para acolher refugiados.

O prédio do seminário fica a 3 quilômetros do aeroporto local e antes da invasão recebia estudantes de teologia. Agora, decidiu abrir as portas para moradores locais e ucranianos de outras cidades, em fuga da guerra.

As salas de aulas se tornaram dormitórios para 4.150 pessoas, que passaram a conviver com os sons das sirenes de alerta de possíveis ataques aéreos todos os dias, de acordo com informações do próprio Seminário Batista.

O presidente da instituição, Yaroslav Pyzh, relatou no dia 18 de março que viu da janela de sua sala a região do aeroporto de Lviv ser atingida por mísseis russos, que formaram espessas colunas de fumaça:

“Foi a primeira vez na minha vida que vi mísseis de cruzeiro explodindo. Eu tenho que admitir, isso foi estranho e assustador”, disse Pyzh.

O seminário vem trabalhando, também, em uma parceria com outras organizações batistas da Polônia, para ajudar ucranianos que buscam sair do país. Até agora, cerca de 3 mil pessoas já receberam ajuda para se refugiar na nação vizinha.

“Decidimos evacuar nossas mulheres e crianças. Temos parceiros na Polônia que estão nos ajudando a encontrar um lugar para nossas famílias”, contou Pyzh ao International Mission Board (IMB).

Ao chegarem na Polônia, os refugiados são recebidos por organizações de ajuda batista, como a IMB, que doam suprimentos para suas necessidades imediatas: “Com a ajuda de tantas pessoas que provavelmente nunca conhecerei, podemos atender aqueles que estão em grande necessidade. Gostaria de agradecer por suas orações e por compartilhar conosco esse fardo”, declarou Pyzh.

“Todos os dias temos fé suficiente para continuar fazendo o que estamos fazendo. Deus renova essa fé todos os dias. A razão pela qual temos força é porque conhecemos Sua fidelidade”, testemunhou Pyzh.

Ao todo, a agência de migração da ONU estima em 6,5 milhões de pessoas o total de refugiados que deixaram suas casas, mas permanecem na Ucrânia, e outros 3,5 milhões que abandonaram o país.





Gospel Mais

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.