Convertido a Cristo, ex-muçulmano se refugia na arte após perseguição


Ser um cristão residente em Uganda pode significar a necessidade de enfrentar inúmeros desafios, tendo em vista que o país concentra um grande número de muçulmanos, os quais consideram a conversão um ato de vergonha e até de pena de morte.

Para um jovem de 24 anos chamado Hamza, essa realidade é bem conhecida e até hoje faz parte da sua vida. Nascido em uma família islâmica, ele se converteu ao cristianismo após ganhar uma Bíblia Sagrada de presente durante uma viagem para o Quênia.

Após ouvir de alguns amigos sobre Jesus, o Espírito Santo tocou no coração de Hamza, lhe despertando o desejo de conhecer mais sobre as verdades do evangelho, o que lhe deixou intrigado.

“Ainda não estava satisfeito com o que haviam me dito”, disse ele. “Comprei uma Bíblia para saber mais profundamente sobre o que me disseram e participei de aulas de discipulado até me convencer a realmente entregar minha vida a Cristo.”   

Hamza, contudo, sabia que o seu retorno para Uganda seria difícil, pois ele teria que contar a sua decisão para seus pais, que são islâmicos. Inicialmente o rapaz não teve coragem de fazer isso e tentou manter a sua fé de forma discreta, o que não durou muito tempo.

Ao saber da conversão a Cristo, os pais de Hamza se decepcionaram profundamente e tentaram lhe convencer do contrário, mas sem sucesso. Duas semanas depois, a mãe do jovem morreu. Os parentes, então, colocaram a culpa no cristão convertido.

“Sofri tortura fisiológica e ameaças de parentes durante todo o processo de enterro”, disse Hamza, segundo o International Crhistian Concern. Por causa do ambiente hostil, o jovem decidiu sair de casa e procurar outra moradia, em outra cidade.

Hamza conseguiu a lugar um pequeno apartamento, onde ficou trabalhando como artista plástico. A fé em Deus e a arte se tornaram os refúgios do jovem cristão. Contundo, o rapaz passou a enfrentar dificuldades financeiras, pois não tinha condições de comprar suprimentos para o seu trabalho.

Foi assim que uma equipe da ICC, ao tomar conhecimento da situação, visitou Hamza. Os missionários lhes deram não apenas suprimentos, como um estúdio completo de arte. Atualmente o jovem trabalha e vive com dois irmãos mais novos, os quais também se entregaram a Cristo após o seu testemunho de fé.

“Tudo o que posso dizer é, obrigado por curar a dor que carrego desde que entreguei minha vida a Jesus Cristo. Que o bom Deus abençoe a todos que estão por trás da realização do meu desejo”, disse Hamza.





Gospel Mais

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.