5 lições para pais prevenirem males da pornografia a seus filhos


Billie Eilish merece um olhar mais atento e um agradecimento por parte de pais após falar sobre os males causados por sua exposição à pornografia durante a adolescência. Um escritor cristão listou cinco lições que podem ser tiradas do relato.

A artista, de apenas 19 anos e amplo sucesso na carreira musical, se abriu durante uma entrevista em que falou sobre os males causados pelos vídeos de sexo explícito que passou a consumir aos 11 anos de idade.

Assim, o escritor Josh McDowell afirmou que o depoimento da cantora traz valiosas lições a pais que estão criando filhos numa época em que a pornografia está ao alcance de todos pela internet e se tornou uma parte silenciosa da cultura:

1. A exposição infantil à pornografia vem se tornando cada vez mais “normal”

Embora muitos pais pensem que seus filhos não serão expostos à pornografia, isso é altamente improvável. De acordo com um estudo de 2016, mais de 60% das meninas e quase todos os meninos são expostos à pornografia na internet antes dos 18 anos, e quase 40% de todos os adolescentes com idades entre 13 e 17 estão vendo pornografia pelo menos uma vez por mês.

Os pais não têm dificuldade para falar com os filhos sobre coisas como escola, esportes e dinheiro. É essencial também priorizar conversas regulares e adequadas à idade sobre sexo e pornografia.

2. Assistir pornografia também é um problema com meninas

Nos últimos anos, alguns homens conhecidos começaram a falar sobre seus vícios em pornografia, incluindo o ator Terry Crews e Russell Brand. A admissão de Billie Eilish destaca como as jovens também estão sofrendo.

Na verdade, mais de uma em cada três mulheres com idades entre 13 e 24 anos vê pornografia pelo menos uma vez por mês. Quando falamos sobre pornografia apenas como um “problema de rapazes”, isso aumenta a vergonha que muitas moças já sentem, e isso as torna menos propensas a pedir ajuda.

É importante ter essas conversas com filhos e filhas, incluindo como a pornografia está moldando os meninos e as meninas ao seu redor.

3. A pornografia danifica o cérebro

“Acho que realmente destruiu meu cérebro”, disse Billie Eilish. De uma forma real, ela está certa. De acordo com o Dr. William Struthers, a pornografia “sequestra” o design sexual dado por Deus ao cérebro e o reconecta para se habituar ao uso da pornografia.

As crianças que lutam contra a pornografia precisam dos pais para lhes mostrar graça e ajudá-las a encontrar apoio. O uso de pornografia não é apenas uma fase pela qual os adolescentes passam e superam. Em vez disso, é um processo viciante que adapta mal o cérebro e requer trabalho intencional e muitas vezes ajuda profissional para desfazer.

4. A pornografia inferioriza a mulher e promove violência

De acordo com a cantora, a pornografia que ela assistia era violenta e abusiva. Um estudo de 2007 descobriu que 88% dos cinquenta vídeos pornôs mais populares continham violência física contra mulheres, e a violência na pornografia só aumentou desde então.

Billie Eilish diz que experimentou terrores noturnos com o sexo violento que testemunhou nos vídeos e, quando se tornou sexualmente ativa, teve comportamentos que causaram arrependimento a ela: “Foi porque pensei que era por aquilo que deveria me sentir atraída”, lamentou.

É normal e saudável que as crianças tenham curiosidade sobre sexo, mas a pornografia é uma péssima educadora sexual. Os pais devem fazer o possível para se mostrar um lugar seguro para seus filhos, de modo que não levem suas questões sexuais, inseguranças e preocupações para os vídeos.

5. A pornografia não é culpa dos nossos filhos

Billie Eilish parece se culpar pela pornografia que viu, afirmando: “Estou com tanta raiva de mim mesma por pensar que [assistir pornografia] era normal”.

A verdade, porém, é que esse fardo não deve recair sobre os ombros de uma criança de 11 anos. Quando um filho ou filha é exposto a esse tipo de conteúdo e se culpa pela destruição que se segue, isso apenas aprofunda a vergonha e convida a mais sigilo.

Os pais não conseguirão impedir completamente os filhos de serem expostos à pornografia, mas podem procurar bons filtros e softwares de responsabilidade para ajudar e, o mais importante, podem trabalhar para fomentar a confiança e a abertura de conversas sobre todas essas coisas em casa.

“A pornografia magoou profundamente Billie Eilish e ela não está sozinha. Portanto, vamos orar por ela e enfrentar o desafio de ser pais em um momento como este”, resumiu o escritor Josh McDowell no artigo publicado pelo portal The Christian Post.





Gospel Mais

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.