China ordena que pastores preguem confiança em ditador e comunismo


O governo comunista da China vem intensificando sua ingerência na fé cristã e agora ordenou aos pastores e demais líderes da igreja controlada pelas autoridades a pregarem a confiança no ditador do país, Xi Jinping.

Nos dias 3 e 4 de dezembro, Xi Jinping comandou a Conferência Nacional sobre Trabalho Relacionado aos Assuntos Religiosos, a primeira em cinco anos. Durante seu discurso, queixou-se do ritmo de “sinicização” da religião cristã.

A “sinicização” é um processo que vem, gradualmente, moldando a doutrina das igrejas legalizadas para atender aos objetivos e valores do Partido Comunista da China (PCCh). Na ocasião, Xi Jinping também determinou que um estudo aprofundado sobre a visão de Karl Marx sobre a religião seja produzido.

O ditador comunista chinês afirmou que os cristãos, particularmente, tendem a evangelizar outras pessoas, o que o PCCh define como “proselitismo”, atividade que o governo proibiu.

Em outro momento, segundo o portal Bitter Winter, o mandatário cobrou maior fiscalização sobre a publicação de conteúdos religiosos não-autorizados, uma atividade que já está proibida para estrangeiros, conforme nova diretriz das províncias.

A Igreja Three-self (“Igreja da Trindade”, em tradução livre), controlada pelo governo, foi a primeira a ser ordenada a implementar “imediatamente” as diretrizes da Conferência Nacional.

O pastor Xu Xiaohong, presidente do Comitê do Movimento Three-Self Patriótico Cristão Chinês, organizou em 7 de dezembro uma reunião extraordinária do Comitê e do Conselho Cristão da China.

O comitê e o Conselho supervisionam a doutrina nas filiais da Three-Self, e o objetivo da reunião era assistir ao discurso gravado de Xi na Conferência Nacional, e elaborar um plano para coloca-lo em prática.

Por conta de toda essa servidão da Igreja Three-self ao PCCh, muitos membros insatisfeitos com os sermões cada vez mais em prol do comunismo ao invés da mensagem cristã, têm abandonado a denominação e partido para outras igrejas, menores e irregulares aos olhos do governo, porém fiéis à Bíblia Sagrada.

Segundo Xu Xiaohong, as igrejas devem deixar de lado assuntos menos importantes e se concentrar na prevenção no COVID-19 e no 100º aniversário do Partido Comunista Chinês.

Na visão de Xiaohong, o ditador Xi Jinping deve ser retratado em “nove mandamentos”, que devem se tornar o programa para todos os pastores e comunidade nas próximas semanas e meses.

Entre os “nove mandamentos” estão a pregação de que “o trabalho religioso faz parte do trabalho maior do Partido Comunista”, assim como “obedecer aos líderes do Partido e aos líderes religiosos oficialmente aprovados” e ” estudar e implementar a teoria marxista da religião”, entre outros.





Gospel Mais

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.